terça-feira, 2 de novembro de 2010

"A gente é quem a gente ama."

E foi assim, com a simplicidade de quem ajeita a roupa em desalinho, que ele disse: "A gente é quem a gente ama." E você, quem você ama? E "quem e o que" você ama dizem exatamente o que sobre sua pessoa?

segunda-feira, 5 de julho de 2010

domingo, 4 de julho de 2010

Vintage até o último fio do cabelo e eu não sou careca!


É "vintage". Minha palavra do momento. Curiosamente uma nova vida se anuncia e eu planejo decorá-la com imagens do passado. Alguém sabe explicar?

sábado, 3 de julho de 2010

Você é um ser amoroso?

A Revista Vida Simples deste mês traz um artigo sobre amorosidade. Que fique aqui como aperitivo e provocação para a leitura direto na fonte. Ser amoroso nas palavras do autor:

"(...) condição de amar como um jeito de ser. É quase uma filosofia viver em estado de amor, o mesmo que estar conectado com o mundo por um cordão de luz, que ilumina as relações e as torna sempre agradáveis, independentemente de serem afetivas, familiares ou profissionais." 

sábado, 24 de abril de 2010

Fúria da Beleza

"Sou como todos, marcada neste flanco
pelo susto da beleza, pelo terror da perda
e pela funda chaga dessa arte
em que pretendo segurar o mundo."

Lya Luft

domingo, 24 de janeiro de 2010

Cuida de mim (O Teatro Mágico)


Ana,
obrigada por me apresentar "O Teatro Mágico". Eu já tinha visto o site deles, mas nunca tinha ouvido. É lindo, me apaixonei.
E a música Cuida de mim é uma delicadeza só...

O Teatro Mágico - Cuida de Mim
(composição: Fernando Anitelli)

Pra falar verdade, às vezes minto
Tentando ser metade do inteiro que eu sinto
Pra dizer as vezes que às vezes não digo
Sou capaz de fazer da minha briga meu abrigo
Tanto faz não satisfaz o que preciso
Além do mais, quem busca nunca é indeciso
Eu busquei quem sou;
Você, pra mim, mostrou
Que eu não sou sozinho nesse mundo.

Cuida de mim enquanto não esqueço de você
Cuida de mim enquanto finjo que sou quem eu queria ser.
Cuida de mim enquanto não me esqueço de você
Cuida de mim enquanto finjo, enquanto finjo, enquanto fujo.

Basta as penas que eu mesmo sinto de mim
Junto todas, crio asas, viro querubim
Sou da cor, do tom, sabor e som que quiser ouvir
Sou calor, clarão e escuridão que te faz dormir
Quero mais, quero a paz que me prometeu
Volto atrás, se voltar atrás assim como eu.

Busquei quem sou
Você, pra mim, mostrou
Que eu não sou sozinho nesse mundo.

Cuida de mim enquanto não me esqueço de você
Cuida de mim enquanto finjo que sou quem eu queria ser.
Cuida de mim enquanto não me esqueço de você
Cuida de mim enquanto finjo, enquanto fujo, enquanto finjo.

quinta-feira, 21 de janeiro de 2010

Para divas


sexta-feira, 1 de janeiro de 2010

Seres alados

Para minha amiga Rozane, que ama os pássaros....

Lembrança alada

Em algum dia fui ave.
Guardo memóriade paisagens espraiadas
e de escarpas em voo rasante
E sinto em meus pés
o consolo de um pouso soberano
na mais alta copa da floresta
Liga-me á terra
uma nuvem e seu delseixo de brancura
Vivo a golpes
com o coração de asa
e tombo como um relâmpago
faminto de terra.

Guardo a pluma
que resta dentro do peito
como um homem guarda seu nome
no travesseiro do tempo.

Em alguma ave fui vida.

Mia Couto
Maputo, 2004.

terça-feira, 22 de dezembro de 2009

Sugestão delicada

"De que são feitas as meninas?"




"De que sãofeitos os meninos? De que são feitos os meninos?!
Rãs, caracóis e rabinhos pequeninos. Disso são feitos os meninos.
De que são feitas as meninas? De que são feitas as meninas?!
Açúcar, perfumes e coisinhas pequeninas. Disso são feitas as meninas."
Este poema integrava meu livro favorito quando criança (Enciclipédia Mundo da Criança) e pretendia distinguir em poucas palavras meninas e meninos. Tolice..Em um mundo de diversidade, era de se esperar que homens e mulheres resultassem de combinações ricas e instigantes, e que uma característica não pudesse pertencer a apenas um gênero. No meu caso, por exemplo, aprecio muitíssimo rãs e caracóis (afinal, tornei-me bióloga!) e adoro perfumes! Os perfumes são, na minha opinião, um dos objetos com maior potencial multisensorial existentes (ajudem-me a pensar em outros). Não é só o olfato que frui....Basta ver a delicadeza destes frascos (imagens que ilustram o post) e a sereia da campanha publicitária idealizada para um dos perfumes mostrados. Não são simples vidros de perfumes, são verdadeiras jóias! As essências, para quem não sabe, são pensadas combinando técnica e sensibilidade. Imagino mesmo que um bom perfumista ao criar uma fragrância imagine um personagem e uma história. Novamente, basta entender o que são as notas presentes em um perfume (veja a seguir uma síntese). Todas as pessoas no mundo deveriam poder usar (se assim desejassem) um bom perfume francês! Que nota de fundo você gostaria de sentir??
Sobre as notas...
A nota de cabeça é o espírito do perfume, o primeiro aroma que a pessoa sente diretamente do frasco. Ingredientes tipicamente encontrados nesse tipo de nota incluem aromas frescos ou cítricos, como lavanda, flor de laranjeira e toranja. É uma nota muito "volátil", que começa a enfraquecer de cinco minutos a meia hora após a evaporação da base alcoólica do perfume e desaparece completamente após duas horas.
As notas de coração representariam literalmente o coração da fragrância!Essas notas formam uma mistura harmoniosa do corpo do perfume e definirão a família de fragrâncias, como floral, cítrico, oriental... As notas de coração se desenvolvem quando as notas de cabeça começam a enfraquecer e vão se misturando gradualmente, normalmente por uma hora ou mais, antes de se renderem às notas de base.
As notas de fundo são a alma de um perfume! Elas criam um rastro muito duradouro que pode permanecer por até 24 horas, e talvez mais, dependendo da concentração do perfume (parfum, eau de parfum, eau de toilette). São geralmente as notas mais quentes e sensuais de uma composição olfativa e contém noralmente Âmbar, Almíscar, Incenso, Sândalo ou Baunilha.

domingo, 20 de dezembro de 2009

Tiê

quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

segunda-feira, 28 de setembro de 2009

Olhar que dá uma festa



O que faz seu olhar dar uma festa?

segunda-feira, 11 de maio de 2009

Cofre de silêncios

No início de julho em Paraty teremos a Flipinha, evento para miúdos que acontece junto a Flip, Feira Literária Internacional de Paraty (http://www.flip.org.br/noticias.php3?id=346). A poeta Roseana, que nos inspirou a esse blog, estará lá. Aqui um poema dela, para retomarmos o diálogo aqui (estou de volta!). Tão lindoooooooooooooooo!

JOGO DA VERDADE
Roseana Murray
A verdade é um labirinto.
Se digo a verdade inteira,
se digo tudo o que penso,
se digo com todas as letras,
com todos os pingos nos is,
seria um deus-nos-acuda,
entraria um sudoestepela janela da sala.
Então eu digo a verdade possível,
e o resto guardoa sete chaves
no meu cofre de silêncios.

sábado, 21 de março de 2009

Dia mundia da poesia: bula e poesia


Para algumas pessoas poesia está associada ao texto escrito, à palavra. Mas essa é apenas uma das formas de manifestação poética, poesia é um estado de ser. É uma saia colorida, um jeito de olhar para as gentes, uma forma de escolher as palavras, um enxergar envergado, uma maneira de rir-se da vida. Portanto, existem pessoas que estão mais para relatórios científicos e bulas, e outras para a poesia. Eu pertenço à segunda categoria. Somos minoria? Suspeito que sim. O cotidiano exige-nos uma expressão isenta de poesia. A isso chamam objetividade, clareza, coerência, consistência. A poesia escolhe o caminho da “corda bamba”, goza a vertigem no estômago das quedas abruptas, admite a dúvida, a incerteza. O estado poético assume os vazios das nossas frágeis existências e nomeia-o, “palavras que compõem o silêncio...” E é isso, nesse momento da minha vida, em que tantos são os vazios e as faltas, tomo a poesia como quem prova vinho do porto, e sigo brincando a dar nomes! Só a poesia pode me salvar da aridez a que me submeti...
Hoje eu pensei em sair por aí para aproveitar as comemorações do dia da poesia, mas não foi preciso, minha celebração estava a um clique! Vejam este vídeo que encontrei com a Adélia Prado. Assistam! Vi também o Manoel de Barros, “amor da minha vida!” Sim, sou passional, e que não gostar que coma mais e fique bem gordo!

terça-feira, 3 de março de 2009

As pessoas preferem você ausente ou presente?

A jornalista Leila Ferreira assumiu a gentileza/delicadeza como tema para mais um livro, que será provavelmente uma alegria! Ela fez uma entrevista e comentou brevemente em seu blog http://colunas.marieclaire.globo.com/nosmulheres/. Aqui um trechinho do que ela diz lá:

"Segundo o Dr. Forni, nós temos que nos comportar com os outros de forma que nossa presença seja sempre preferível à nossa ausência. Quando nossa presença não faz falta, mau sinal… E quem é que sente falta de alguém que não cumprimenta quem está perto, vive de cara amarrada, fala alto e eventualmente de forma grosseira, só pensa nos próprios interesses, fura filas, dá fechadas no trânsito, desconhece o significado da palavra “delicadeza”?"

As pessoas preferem você por perto ou...?

terça-feira, 17 de fevereiro de 2009

O pecado de pensar

Meu Deus, Me dê a Coragem
Clarice Lispector

Meu Deus, me dê a coragem
De viver trezentos e sessenta e cinco dias e noites,
Todos vazios de Tua presença.
Me dê a coragem de considerar esse vazio
Como uma plenitude.
Faça com que eu seja a Tua amante humilde,
Entrelaçada a Ti em êxtase.
Faça com que eu possa falarCom este vazio tremendo
E receber como resposta
O amor materno que nutre e embala.
Faça com que eu tenha a coragem de Te amar,
Sem odiar as Tuas ofensas à minha alma e ao meu corpo.
Faça com que a solidão não me destrua.
Faça com que minha solidão me sirva de companhia.
Faça com que eu tenha a coragem de me enfrentar.
Faça com que eu saiba ficar com o nada
E mesmo assim me sentirComo se estivesse plena de tudo.
Receba em teus braços
O meu pecado de pensar

terça-feira, 27 de janeiro de 2009

sexta-feira, 23 de janeiro de 2009

Fantasmas

“O passado não reconhece seu lugar: está sempre presente”.
Mário Quintana

Peguei no blog da Leila Ferreira http://colunas.marieclaire.globo.com/nosmulheres/

quarta-feira, 14 de janeiro de 2009

Pingam reticências dos meus cílios....

"Não importa o tempo, a ausência, os adiantamentos, a distância, as impossibilidades. Quando há afinidade, qualquer reencontro retoma a relação, o diálogo, a conversa, o afeto, no exato ponto de onde foi interrompido."
Artur da Távola

sábado, 10 de janeiro de 2009

Viva o amor....

Para quem não sabe, são Malu Magalhães (16 anos) e Marcelo Camelo(30). Músicos. Ela me foi apresentada por minha amiga querida Chrysocca. Um gênio (a Malu, e a Chrys também). Mas o que está causando furor na mídia é a diferença de idade.

E o amor..tão difícil de acontecer assim...tão raro...ãmor de verdade...ai,ai.

PS: Desculpem na primeira versão deste post troquie o bicho do Marcelo...não é Coelho é Camelo.

quarta-feira, 24 de dezembro de 2008

Véspera de Natal, amor e jardins

É difícil falar de amor sem parecer piegas. Mas como disse uma das vozes de Pessoa, "todas as cartas de amor são ridículas e não seriam cartas de amor se não fossem ridículas..". Então, nesta véspera de Natal, entrego-me a pieguice para falar de amor, que é o que realmente importa nesta vida (na minha opinião). Eu como tantas criaturas por aí gostaria muito de entender este sentimento. Não falo tão somente do amor entre um homem e uma mulher, mas também deste. Falo do amor que senti instantaneamente ao ver meu cachorro ruivo ainda bebê as margens de um rio, abandonado, amor que senti ao olhar para os olhos dele. Falo ainda do amor que sinto pelo meu sobrinho, que só faz aumentar e que me dá a sensação que não caberá no meu peito. Lembro que quando menina e minha mãe aprovou termos mais de um cachorro a aflição que senti ao pensar que talvez não houvesse amor para todos em mim. Mas o amor é este sentimento que multiplica-se, soma, que agrega, que partilha....Normalmente falamos pouco desse amor, ocupamo-nos muito dos amores que unem casais. Eu mesma, vez ou outra encontro-me envolvida em alguma "especulação mental" se é amor ou o que os fulanos sentem, ou o que eu mesma sinto. Para mim, o pior sentimento que pode associar-se ao amor é o medo. Medo de perder o outro, medo que o outro ame um outro, medo de mostrar-se como realmente se é... Quando as pessoas têm medo o amor perde sua beleza e morre. E o amor é um sentimento de vida, ele tem esse poder de despertar a vida nas pessoas (que sorriem mais, que ficam melhores, que se arrumam mais, que espalham flores, que dizem mansidões....). Em resumo, para mim, se houver dúvida se é amor o que está se viver e se é um amor bom, a pergunta a ser feita é: é fértil? há um jardim a florescer, mesmo que de pimentas? E se isso estiver a acontecer para os envolvidos, este é um amor que vale a pena ser cuidado, um amor bom...Mas é mais fácil o desacato ao entendimento, a guerra á paz, a separação ao encontro...É uma pena. Mas a vida continua e o amor continua a acontecer gratuitamente em nossos corações inesperadamente (não é o que chamamos de benção?).
Desejo a todos neste Natal encontros de puro amor! O amor que dá vida aos olhos, aquece o coração e materializa-se em gestos, palavras e carinhos...
Foto Largo da Graça, quando fomos ver um coral de Natal.

sexta-feira, 19 de dezembro de 2008

O que aquece o coração


E o que é a vida senão os momentos que o coração fica aquecido? Uma sanfona (mesmo que pareça de brinquedo) e ainda vermelha tem reunido toda minha alegria, o som é minha voz e expressa a matéria da minha alma!
PS: Ainda é só barulho, mas eu chego lá....

terça-feira, 16 de dezembro de 2008

O blog da Leila Ferreira

Leila Ferreira e seu blog: http://www.nosmulheres.globolog.com.br/
Imperdível!

domingo, 7 de dezembro de 2008

Exorcismo


Esse moço deveria ter mais espaço na mídia, não?

sexta-feira, 5 de dezembro de 2008

domingo, 30 de novembro de 2008

Tempo delicado


Surge a dúvida: termino ou não esse relacionamento? Saio ou não dessa empresa? Viajo ou compro um celular? Ser delicado com a gente mesmo é nesse momento de dúvida dar um tempo à nossa alma. Não é fácil. A ansiedade vem cobrando, sem dó, a resposta. E e quero agora a resposta! Mas a delicadeza tem que ser mais forte. Eu vou esperar mais um pouquinho, ser delicada comigo, esperar a dúvida passar e a resposta chegar.

segunda-feira, 24 de novembro de 2008

Já a minha vontade de alegria....


Com licença poética

Adélia Prado

Quando nasci um anjo esbelto,
desses que tocam trombeta,
anunciou:vai carregar bandeira.
Cargo muito pesado pra mulher,
esta espécie ainda envergonhada.
Aceito os subterfúgios que me cabem,
sem precisar mentir.
Não sou feia que não possa casar,
acho o Rio de Janeiro uma beleza eora sim,
ora não, creio em parto sem dor.
Mas o que sinto escrevo.
Cumpro a sina.Inauguro linhagens,
fundo reinos— dor não é amargura.
Minha tristeza não tem pedigree,
já a minha vontade de alegria,
sua raiz vai ao meu mil avô.
Vai ser coxo na vida é maldição pra homem.
Mulher é desdobrável. Eu sou.

sexta-feira, 21 de novembro de 2008

Delicadeza lusitana

video

Desde o dia que desembarquei em Lisboa tenho sido surpreendida por delicadezas. O casal que me acolhe, Tess e Luigi, têm olhos atentos a todas minha necessidades, e vão além, providenciam pequenos mimos para tornar minha existência aqui mais doce. Como dizia Mário Quintana, uma espécie de surra as avessas que você não pode reagir. Na realidade parece que nem todos brasileiros aqui têm tido a mesma sorte e relatam o de sempre em qualquer país, "grosserias". Bom, eu não tenho nenhuma queixa, nenhuma. O universo está conspirando a meu favor e não vou fingrque não estou vendo. A Tess e o Luigi são uns amores, pessoas raras, artistas, preocupados com a bondade no mundo e com o consumo exacerbado, gostam de Nietzche, o Luigi toca violão lindamente. Antes de vir já havia percebido que pessoas eram...Nossa troca de emails á espera de uma vale postal no lugar da sisudez de um negócio era poesia, falávamos do clima, da família, das lembranças...E agora, pedaços de panetone, checagens sobre meu bem estar, disponibilidade em me ensinar tudo, disposição para ir de metrô comigo para tratar assuntos meus....E agora essa, chego ontem a noite da faculdade e ao abri a porta do quarto escuro deparo-me com esta encantadora imagem! Um vaso de Natal iluminado...Como é bom uma surpresa assim, meu Deus! Que coisa linda! Coome deixou leve e feliz essa delicadeza!!!!!!!!!!!!!!!!!!! Tess e Luigi..temo que não existam....

PS: Enquanto escrevo uma gaivota pousou em uma chaminé me encara...Coisa linda e boba! Tirei fotos, veja no www.pastelsantacalra.blogspot.com

quarta-feira, 12 de novembro de 2008

Delicadeza visual




terça-feira, 11 de novembro de 2008

segunda-feira, 10 de novembro de 2008

quarta-feira, 5 de novembro de 2008

Um sonho de liberdade...


Ontem vimos mais uma vez Um sonho de liberdade. Minha amiga Rozane Suzart que tem um "blog leigo sobre cienema" (www.cinezart.blospot.com) ainda não falou sobre ele lá, mas poderia. Como é possível um filme sobre a rotina de um presídio e suas atrocidades ser delicado? Sim, quando compondo o pelotão de homens a margem do que é socialmente aceito encontramos um homem como o personagem interpretado pela gracinha do Tim Robbins, um homem essencialmente bom e íntegro. Embora sofrendo todo tipo de aviltaento moral e físico, ele não se contamina pela ruindade generalizada. Há poesia em seu jeito de existir. Penso que as pessoas mostram o que são nos momentos de adversidade. Aborreço-me quando percebo que estou mal humorada, irritada e sendo indelicada se a situação de alguma maneira me maltrata. Desejo ser nobre,mas invariavelmente fracasso. Já presenciei fracassos piores que o meu. Mas Andy, o personagem da gracinha do Tim (oi, Tim, passa lá em casa!), é impecável. Mantém vivo em um discurso de sofrimento e dor a esperança, a beleza, a amaizade...Manter vivo dentro da gente o que temos de humano e bom, mesmo que a vida apareça como um jardim de espinhos. A cena colhida no youtube é uma das minhas preferidas, quando ele brinda os ouvidos pouco acostumados com o erudito com Mozart. É uma transgressão, ele recebe de pena duas semanas de solitaria. Mas ele diz não ter ficado sozinho no confinamento, Mozart esteve com ele "no pensamento e no coração". Prescrição: filme bom para ser visto quando nossa esperança na humanidade anda em baixa....

terça-feira, 4 de novembro de 2008

pq?

pq sempre chego depois que a pesquisa termina...e tá encerrada a votação....pq????

pq?

Gente fina, elegante, sincera....

terça-feira, 21 de outubro de 2008

Alguém aí já...

Alguém aí já....


Sentiu uma ausência visceral?


Implorou a Deus por um milagre?


Achou que era possível morrer de tanto amor?


Desejou reduzir-se a uma ostra (e ser degustada pelo George Clooney)?


Desejou transformar-se em um seco espantalho no Texas?


Invejou a autoconfiança de uma cachorro de rua?


Sentiu-se a critura mais só do planeta?


Chorou ao ver os varredores de rua sentados atrás do caminhão de lixo, com suas marmitas e garrafinhas de coca cola?

domingo, 19 de outubro de 2008

Sobre fronteiras e delicadeza

Não sei se é o caso do leitor que agora acompanha minha escrita, mas muito me aborrece pessoas que limitam-se ás fronteiras de seu próprio bairro. Conhecem alguém assim? Gente que diz não ter porque ir para longe, se tudo que precisa está ali, uma rua acima ou uma rua abaixo. Gente que só deixa de cortar o cabelo com um determinado barbeiro, quando o cara estica as canelas. Tudo bem, admito, preciso respeitar que as pessoas são diferentes, e mesmo que sejam diferentes de mim, suas escolhas são legítmas em suas histórias. Acontece que sou uma criatura que aprecia regiões de fronteira. Ser estrangeira, forasteira, alguém que vem de fora, de não pertencer a nenhum grupo, permite-me ter "olhos de fora". Saio no lucro, tanto quando vejo o que não conheço como quando revejo o que me é familair com outros olhos, olhos de quem bebeu de outras fontes. Esse movimento de estranhamento, é um exercício que pode se aprender a apreciar. Não há tédio, pois podemos estranhar até o que nos é conhecido!
Como sabem, dentro em breve serei de fato uma estrangeira, vivendo em outro país. Como será por um período relativamento longo, preocupa-me a questão da delicadeza com os nascidos naquele lugar. As vezes sou desatenta, e deixo escapar cuidados com quem me rodeia, perco a chance de ser delicada. Naõ gostaria que isso acontecesse lá. E mais, temo ser indelicada. Mesmo sendo a mesma língua, os povos elegem palavras diferentes como "bigornas" comunicacionais. E se uso uma palavra que para nós é frugal e pra eles seria digna de puxar a pexeira! Muita atenção e nada de adivinhação, o jeito é perguntar como melhor convém, sempre....

sábado, 18 de outubro de 2008

Uso poético da internet: faça sua própria antologia do poetinha!

Quem gosta de poesia e do Vinícius de Moraes, cuja frase citei no post anterior, vai amar o site www.viniciusdemoraes.com.br.
Lá você poderá preparar sua própria antologia do poetinha, selecionando poemas e textos de Vinicius que você mais aprecia, e ainda escolher uma capa, escrever comentários e passar o link para os amigos lerem! Não é lindo?!
Quero receber muitas antologias! Assim que estiver mais folgada (será que isso vai acontecer um dia?) também vou fazer a minha....
Para encerrar, mais uma do poeta..."Meu tempo é quando".

Ai, que triste....

Nas palavras do poeta Vinicius de Moraes, "a vida só se dá pra quem se entrega..."

quinta-feira, 16 de outubro de 2008

Vovó Sandra, cuide-se!

Talvez a proximidade da viagem, não sei, mas tô sofrendo de saudade antecipada das minhas irmãs. Daí vou aproveitar para postar um texto de uma delas, da Ana Geysa, originalmente postado no blog www.manualdacegonha.blogspot.com, de sua autoria. O texto é um dos meus preferidos. Desde os nove anos ela escreve assim! Aí vai.

Denúncia Vovó Sandra!

Meu Deus ... hoje vivi uma tarde tensa.

Voltei as pazes com a babá eletrônica do Sávio.
Pensei: "ah! tá de dia, vou liga-la aqui enquanto lavo a louça e ele engatinha no quarto."

Meu bairro é lotado de bebês, pra onde eu olho pelas janelas, vejo quartos de bebês, áreas privativas cheias de brinquedos, babás vestidinhas de branco, choro de bebê, riso de bebê, bebê, bebê e mais bebês.

Pois é, essa quantidade de bebê é igualmente justa a quantidade de babás eltrônicas dando interferência na do Sávio.

Na mesma hora que liguei "pimba"!
Ouvi outros bebês ...
Mexi na frequência ...
Mais outros bebês.
Até que, de repente ouvi : " Nenê num vai contar mamãe que eu te deixei molhado? Nem pro papai!"

Ahn?! Que coisa estranha! Essa frase era dita cantada!

A pessoa continuava a cantar isso, e outras revelações bombásticas!

Pensei: " É uma babá que tá sacaneando o bebê! "
Continuei a ouvir, me sentindo num filme policial assitindo um crime.

Até que : " A vovó Sandra, vai comer primeiro! A Carol vai esperar..."!

Putz! Eu tenho o nome da criminosa e da vítima.
Rapidamente peguei a babá do Sávio e mandei meu recado.
Pois se eu a escuto, quem sabe ela me escuta tbm?!

" Sandra, eu sei quem vc é! Eu sei oq fez ... (risos) Troca a fralda da Carol AGORA!"

O fato é, que ou a vovó Sandra ouviu meu recado, ou desligou a babá, pois eu não ouvi mais nada.

Há há há ... Véia, eu tô de olho em vc nêga!

Ninguém judia de bebê na minha área não senhora!
Afinal de contas, o presidente do conselho tutelar na minha região mora em baixo de mim!
Nada é por acaso. * Piscadinha de Missão Impossível"

terça-feira, 14 de outubro de 2008

Pão de queijo, acarajé, galinhada, pastel de feira, feijão troupeiro, beiju, tiramissu...e pastel de Santa Clara!

Meu blog de viagem está na semente, já dá pra ver a carinha dele (wwww. pastelsantaclara.blogspot.com), embora esteja "peladinho da silva", esperando as histórias que estão por vir. O nome "Pastel de Santa Clara" era o meu preferido na enquete! Gulosa que sou, acho que poucas coisas dizem mais de um povo e de uma viagem que as comidas saboreadas! Pão de queijo mineiro, sarapatel nas festas juninas de Salvador, galinhada uberabense, ameixa de Araxá, pastel de feira em São Paulo, feijão troupeiro de Belo Horizonte, beiju da Chapada Diamantina, tiramissu da Fancesca... Talvez um dia escreva uma biografia "gastronômica", falando da minha vida a partir dos alimentos que marcaram cada fase, cada encontro. Quando menina, gelatina colorida preparada pela minha mãe na volta da escola. As rosquinhas vendidas no cesto comidas no café da manhã (sinto o cheiro!). O bolo peteleco da minha tia Lucinha, sempre amorosa e risonha.O bolo da minha vó Lina servido com o café com leite branquelo. Mais tarde, descobri que mais interessante que receber o alimento, era oferecer. Para mim, cozinhar é um exercício de amor. Planejar pensando nas preferências e limitações, tentar combinar o que já é conhecido e adorado na mesa com aventuras inéditas para o paladar, colocar uma singela florzinha..Outro dia vi na televisão sobre alimentos considerados pelos chefs "acolhedores", como baunilha. Dá pra perceber que fiquei feliz com o nome, né? Vou achar uma receita de pastel de Santa Clara pra colcoar no blog. Por enquanto continuo no viveiro, minha casa.

sábado, 11 de outubro de 2008

Sabe aquele assunto passado de mandar cartas e receber? Pois outro dia estava eu no correio e eis que derepente me aparece um pequeno menino com cartas na mão, não resisti e perguntei para a mãe dele, ele escreve cartas?Quem incentivou? e disparei a fazer perguntas. A mãe me respondeu que ela tinha estimulado o pequeno Nicolas a escrever e ele mandava e recebia cartas desde então, muito lindo ele troca correspondência com primos e amiguinhos. Muito bem Nicolas, continua quem sabe um dia alguém escreve um livro com sua história e como vc manteve as pessoas amigas perto de vc. Escrevam cartas ao amigos, parentes e a todos que vc ama, no mínimo dizendo isso, diga a quem vc gosta que " gosta dele" e que tem saudade, eu vou fazer isso a todos que amo.

segunda-feira, 6 de outubro de 2008

terça-feira, 30 de setembro de 2008

Antes do pôr do sol

Doce e delicado...Quem ainda não viu, veja... Antes do pôr do sol (Before Sunset) é uma continuação (Before Sunrise). Mergulhe na linda história de amor de Celine e Jesse. Os diálogos são intensos e profundos, eles falam de suas dores com poesia, da falta que um fez na vida do outro. Gosto especialmente do sonho de Jesse com a Celine grávida...Ele toca o pé dela no sonho e de tão macio que é, acorda chorando...O amor dá medo, não é para qualquer um...Quem nos presenteia com isso, meu Deus...? A vida não é merecimento, também não deve se esperar justiça...Esperamos a graça de uma amor delicado, meu Deus...

domingo, 21 de setembro de 2008

Perfume de mulher...

Isso é delicado?

quinta-feira, 18 de setembro de 2008

Já não tenho vergonha de ser meiga


“As pessoas passam metade da vida a matratar-se uma às outras, por medo e necessidade de afirmação. É uma actividade triste e profundamente inútil. Já não tenho vergonha de ser meiga”

Inês Pedrosa, Nas tuas mãos

Sei espetar!


Andei sumida, deixei meu jardim á doce vilania das lagartas, que de vilãs nada têm! Grande momento em minha vida, preparando o texto da qualificação, organinzando-me para uma grande viagem...E meus "blogs", meus pequenos jardins de idéias, nos quais acabo cultivando o que tenho de mais precioso, não no sentido de "culto" (sei bem meu lugar na insignificância da vida...), mas como "cuidado" de mim mesma, têm sido deixados de lado. Mas hoje, tirei o dia para flanar pelo mundo virtual, encontrei cada belezura que me deu vontade de escrever aqui. E mais, me deu vontade de me implicar na escrita, sim, de deixar claríssimo que sou eu Ana Paula que se pronuncia. Como tem gente bancana escrevendo na net, como os blogs têm sido utilizados por essas pessoas como refúgios-vitrines de si mesmas! Acho que se der tudo certo e minha viagem acontecer, no meu blog de viagem, só falarei de mim e do que sinto a partir do que vejo! Não, não se trata de um surto egocêntrico, mas de uma forma de eu me reencontrar, de voltar a dialogar comigo mesma. Porque nessa coisa acadêmica de doutorado, falo muito com o Chauraudeu, Nietzchie, Claparede....Gente bacana, é verdade...Mas sinto saudades de mim...Como alguém que eu gosto muito me disse uma dia, ser eu mesma em todos os lugares, ser inteira. Permiti-me quebrar. E de mim fizeram-se pedaços cortantes, quase letais. Nada que um bom lapidador não dê jeito. Ou que fique a lança pontiaguda do que posso ser, intacta, uma espécie de Marco Zero da AP, para eu não me esquecer de certas emboscadas em que nos metemos. Não que eu vá me esquivar das emboscadas, o que seria a vida sem a delícia dos acontecimentos tocaiados?, mas quando me lançar novamente nesses jogos vou armada das faces pontiagudas que em mim passaram a residir. Não são resquícios de amargura, tampouco sinalizam que viverei na defensiva...Minhas lanças dirão a quem quiser se aproximar: cuidado, pareço uma rosa, mas meus espinhos estão aí, sei espetar....

quinta-feira, 4 de setembro de 2008



aqui vai o carinho que não foi na outra.